* PAZ, HARMONIA e AMOR *

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Vida em contrastes

Queres...

Eu corro,
meu amor,
meu desejo por ti
não tem limites,
não existem espaços.

Sei bem
onde te procurar
nos momentos insaciáveis
e queres
que te jogue na cama
te dispa,
te ame,
te jure em saliva
orgasmos
e enorme prazer!

Exaustos
olhas para mim
e teus olhos falam:
de novo me rendi!

............................

Não queres...

Não queres…
e a esperança
ficou ferida,
a mente abalada!

Meu coração
estremeceu,
fez-se escuridão
em mim!

Tanto amor,
que dei,
dou e darei
por ti
que não queres…

Um pouco da Vida
estilhaçou,
mas apanharei
esses bocados
para misturar
a momentos bons
que a vida nos deu!

Não queres…
eu continuo a querer
e a amar-te!

José Manuel Brazão

sábado, 12 de novembro de 2011

Silêncio em NÓS!

O nosso silêncio
é uma constante
e por cada instante
avivam-se os pensamentos
perante os sentimentos
de amor e paixão
no teu e meu coração!


Nos desencantos da Vida
pensamos em nós
e aí a Vida se transforma
criando cor,
parecendo um arco-iris
só para nós, TU e EU!


José Manuel Brazão

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Momentos em caminhos diferentes

O amor 
existe em cada um de nós!

A paixão 
leva a que o sonho,
transforme 
em realidade
o amor!

Cada coração sente-o
com mais intensidade
à descoberta da felicidade;
ou de momentos felizes!

Para nós
o que parece impossível,
não é o amor!

São os momentos,
esses momentos,
que nos amarram,
nos destroem,
até ao impossível!

Corações ardentes,
pessoas distintas,
que deixam grãos de amor,
por caminhos diferentes!

José Manuel Brazão

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Além

Hei-de despir-me desse corpo que me veste, 
buscar no azul celeste algo que me caiba melhor. 
Livre dos grilhões que me prendem, 
somente entre luzes-pensamentos estarei. 
Nesse tempo, menos breve, haverá paz,
tempo para ser o que sou.
Por entre estrelas bordadas de ouro,
compartilharei então meu tesouro.
E voarei...


Luciana Silveira

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Uma VIDA...

O meu passado é tudo quanto não consegui ser. Nem as sensações de momentos idos me são saudosas: o que se sente exige o momento; passado este, há um virar de página e a história continua, mas não o texto. 
Fernando Pessoa


Uma VIDA...


Em pleno Outono
ouço a chuva forte
batendo na janela,
vou até junto dela
e escorre nos vidros
como se fossem lágrimas
nesta tarde cinzenta,
que envolve
meu corpo e minha alma!


Olho em frente
e vejo um vulto
em forma de Mulher,
que se aproxima
e reconheço-a!


Vem aflita
como nunca a vi assim,
não pede ajuda,
mas quer um perdão!


Sabe de tudo que me deu
e depois de mim tirou
tudo o que eu tinha de bom,
e pouco me restou!


Pensou ser merecedora,
mas nada é fácil nesta Vida
e tudo perdeu...


Caminhou sem sentido
e nesse caminho
colheu uma erva daninha,
que lhe violentou o corpo
e dilacerou a alma!


Não mais foi a mesma;
teve tudo
e tudo perdeu!


Agora está aqui
aflita, muito aflita,
pedindo a mão
que outrora negou
e eu me resignei então!


Hoje e porque sei amar
minha mão trémula
se estende para ela
não querendo ver
esse precipício da Vida,
que tão próximo está dela
em vez dum caminho
verde de esperança,
plano, cheio de Sol,
aquecendo seu coração
e iluminando sua alma!


Lição de Vida
para quem pensa saber amar
e esqueceu as minhas palavras:
Neste momento
sou tão feliz contigo,
alimento minha alma em ti;
preciso mais de teu carinho
que do teu corpo!


José Manuel Brazão