* PAZ, HARMONIA e AMOR *

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

A Lua em esplendor

Sou da noite
Borboleta noturna
Desgarrada da flor
Tecendo ilusões
Soluções inacabadas
Inesperadas
Luz da lua
Completamente nua
Exposta em raios
Dispersa no céu
Sem prumo
Rumo ao mar
Sem porto para ancorar
Sem fim.

Luciana Silveira




[...]

Este amor
vivido
nas costas da Lua,
muito sofrido
e num silêncio
que só nós sabemos
e compreendemos!

Ninguém
nos roubará
a cumplicidade,
a paixão vivida
de um amor sem igual!

Dias angustiantes
pela saudade sentida,
noites delirantes
pelo reencontro
destes amantes,
que a Vida
os encaminhou
para este grande amor,
perturbante
mas consolador…

José Manuel Brazão 

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Procuro-Te

Procuro-Te,
mas não Te Encontro.
Sinto-Te
junto a mim,
em cada instante,
mas não Te vejo!

Andas por aí,
ajudando
este e aquele.

Não me abandonas,
mas outros
precisarão mais que eu!

Aguardo a Tua Luz,
que me encaminhe
nesta encruzilhada da Vida!

Procuro-Te
e aguardo-Te…

José Manuel Brazão


* Muita LUZ para as Crianças, que são as sementes do Amanhã!


http://www.youtube.com/watch?v=_INvcDB_v-E&feature=related


* Por favor paremos e reflectamos com este vídeo!!!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

A Poeta eterniza-se!

Num teu poema
que li e reli
senti a presença
dum grande talento!

Cruzámo-nos na Vida
e daí partimos
de mãos dadas
por ela e pela Poesia!

Grande talento
tem as suas obrigações
diante dos seus leitores,
que esperam as suas palavras
vestidas de amores
e alegrarem os seus corações!

A Poeta não pára,
nunca desiste
nem acaba,
a Poeta eterniza-se!

José Manuel Brazão
Dedico às Poetas que conheci na minha Vida!



domingo, 18 de dezembro de 2011

Minhas lágrimas...


Não sei quantas já derramei,
nesta minha Vida
de Homem e Poeta,
mas todas foram sentidas
por alegria ou tristeza!

Lavaram minha Alma,
aqueceram meu coração,
enriqueceram o amor em mim!

Por muitos chorei
sentindo os seus sofrimentos,
as suas horas de desespero,
angústia, melancolia
e mais chorei
quando me sentia
impotente para ajudar!

Aí ficaram retidas
no meu amor em silêncio,
nesse silêncio interior,
que eleva a minha Alma!

José Manuel Brazão




sábado, 17 de dezembro de 2011

Angústia de um amor

Foi belo o amor que te dei
e os momentos vividos,
que não se repetem, apenas ficam
na memória do tempo!

Foi belo aquele amanhecer
que gerou dentro de ti,
a paixão, o amor
nunca antes vivido
e que voou e nos juntou
num sentir forte,
muito forte, que parecia eterno!

Um eterno enquanto durou…

Ficam marcas desta paixão,
deste amor original, uniu corações
que só nós entendemos
e o destino...

José Manuel Brazão 

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Recordando: Uma VIDA

O meu passado é tudo quanto não consegui ser. Nem as sensações de momentos idos me são saudosas: o que se sente exige o momento; passado este, há um virar de página e a história continua, mas não o texto.
Fernando Pessoa

Uma VIDA...

Em pleno Outono
ouço a chuva forte
batendo na janela,
vou até junto dela
e escorre nos vidros
como se fossem lágrimas
nesta tarde cinzenta,
que envolve
meu corpo e minha alma!

Olho em frente
e vejo um vulto
em forma de Mulher,
que se aproxima
e reconheço-a!

Vem aflita
como nunca a vi assim,
não pede ajuda,
mas quer um perdão!

Sabe de tudo que me deu
e depois de mim tirou
tudo o que eu tinha de bom,
e pouco me restou!

Pensou ser merecedora,
mas nada é fácil nesta Vida
e tudo perdeu...

Caminhou sem sentido
e nesse caminho
colheu uma erva daninha,
que lhe violentou o corpo
e dilacerou a alma!

Não mais foi a mesma;
teve tudo
e tudo perdeu!

Agora está aqui
aflita, muito aflita,
pedindo a mão
que outrora negou
e eu me resignei então!

Hoje e porque sei amar
minha mão trémula
se estende para ela
não querendo ver
esse precipício da Vida,
que tão próximo está dela
em vez dum caminho
verde de esperança,
plano, cheio de Sol,
aquecendo seu coração
e iluminando sua alma!

Lição de Vida
para quem pensa saber amar
e esqueceu as minhas palavras:

Neste momento
sou tão feliz contigo,
alimento minha alma em ti;
preciso mais de teu carinho
que do teu corpo!


José Manuel Brazão

Nosso sofrer pela distância!

Se eu pudesse …
vestia o teu corpo
de rosas vermelhas!
Olhava-te,
seduzia-te …

Ao meu redor,
exalava do teu corpo,
o aroma das rosas.

Desse corpo
de incontida paixão,
tirei uma a uma,
cada rosa vermelha.

Teu corpo ficou belo,
muito belo …
sofri,
perante o meu oásis!!!

José Manuel Brazão


[....]

Cada rosa com que enfeitaste meu corpo
De botões desabrocharam-se em flor
E são milhares de botões
Caindo em pétalas de diversos matizes
Todos eles em tons de vermelho-paixão
Lembrando-me cheiros do nosso amor
Forte, intenso e lascivo
Eternizados na beleza e na cor
Comemos cada pedaço dessa maçã-do-amor
Reminiscências de cada momento vivido
E nosso sofrer pela distância
Torna-se belo e calmo
Diante da grandeza do oásis almejado.

Luciana Silveira